COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
ACE/CDL oferece aos empresários a oportu­nidade de escolher a melhor linha de crédi­to para aquecer a eco­nomia local. Entida­de ainda promoveu a renegociação de dívi­da de consumidores inadimplentes

 

Com o objetivo de forta­lecer as empresas de Lagoa da Prata e proporcionar a elas mais vigor para supe­rar esse momento de re­tração econômica, a ACE/ CDL promoveu, na sema­na passada, duas iniciativas que trouxeram benefícios à classe empresarial.

Continua depois da publicidade.

Do dia 3 a 14 de agosto foi realizada a “Semana de Recrédito”, que possibili­tou a dezenas de consumi­dores que estavam endivi­dados a oportunidade de renegociar suas dívidas com baixos juros, isenção de multas e facilidades de pagamento, colocando-as em condição de comprar no crediário novamente. A iniciativa teve a participa­ção de 42 empresas. “Com isso, trouxemos para o con­sumo diversos consumido­res que não estavam aptos ao crédito por estarem en­dividados e com o nome no SPC”, avalia o empresário Paulo Pereira, presidente da CDL.

No dia 4, no auditório do Umuarama Clube, a as­sociação promoveu a “Ro­dada de Crédito”, com a participação de sete insti­tuições financeiras: Sicoob Crediprata, Sicoob Lagoa­cred, Caixa Econômica Fe­deral, Banco do Brasil, Bra­desco, BDMG e BNDES. O evento contou com a par­ticipação de aproximada­mente 100 empresários, que tiveram a oportuni­dade de conhecer, em uma única tarde, todas as linhas de crédito disponíveis pa­ra fomentar o seu negó­cio. A “Rodada de Crédi­to” foi uma realização da ACE/CDL-LP, em parceria com Sebrae e FIEMG (Fe­deração das Indústrias de Minas Gerais). “Os bancos ofereceram crédito com taxas muito interessantes. Agora os empresários terão condições financeiras pa­ra investir e crescer”, dis­se o presidente da ACE Jo­sé Raimundo de Rezende.

Para a consultora em­presarial Glaura Figueire­do, o momento econômico exige criatividade e inova­ção por parte dos empresá­rios. E a iniciativa da ACE/ CDL irá contribuir para que as empresas possam se planejar. “Agora é a hora de buscar oportunidades, pois o mercado está aber­to a todas as iniciativas de negócio. A ideia é fazer di­ferente. É propor oportuni­dades, com sustentabilida­de. Na Rodada de Negócio os empresários tiveram a oportunidade de apresen­tar suas demandas, conhe­cer as soluções e tomar as melhores decisões”, expli­ca a consultora.

Figueiredo também elogiou o perfil dos empre­sários da cidade. “Gosta­ria de parabenizar a ACE/ CDL, que é uma instituição parceira fantástica e sem­pre está promovendo ini­ciativas interessantes. Pa­rabenizo também os em­presários que buscam in­formações. Lagoa da Prata é uma cidade onde os em­presários buscam soluções. Esse é o grande diferencial da cidade”.

LOJISTAS APROVAM SEMANA DE RECRÉDITO

WILIAN (7) cópia
Willian Oliveira, gerente da Luidar Tintas

“Essa iniciativa é muito importante, ainda mais em um mo­mento financeiro delicado que o país está enfrentando. Muitos estão endividados e às vezes não possuem a organi­zação para fazer isso, acho muito importante. Também pa­ra movimentar mais o comércio da cidade. Algumas empre­sas que não têm o crediário organizado têm a oportunidade de se organizar.”

 

 

 

Kerley Resende, proprietário da Ótica Acuidade Visual
Kerley Resende, proprietário da Ótica Acuidade Visual

 

“A grande importância para mim dessa iniciativa da ACE/ CDL é recolocar essas pessoas no mercado, ficando aptas a fazer novos créditos e assim movimentar o mercado. Outro valor dessa iniciativa é diminuir a inadimplência para a em­presa e também recolocar essas pessoas, que por motivos de força maior não puderam honrar seus compromissos e querem retornar ao mercado.”

 

 

11014885_838804149523308_4502727637864355776_n
Paulo Roberto Pereira – Presidente da CDL

Qual o resultado que a ACE/CDL espera alcan­çar com a realização da Rodada de Crédito?

Esperamos cumprir a missão da ACE/CDL, que é fortale­cer o comércio local. E diante da crise financeira atual, es­tudamos a melhor forma para contribuir com os empre­sários para que eles saiam fortalecidos desse momento. Numa crise falta dinheiro. O que podemos fazer de ime­diato é preparar as empresas para um momento de escas­sez. Convidamos os bancos e trouxemos nossos parceiros BNDES e BDMG e aproximamos dezenas de empresários para fazerem negócios com essas instituições financeiras. Com isso, esperamos que o comércio tenha mais dinhei­ro, gire mais dinheiro.

Dinheiro é um produto como qualquer outro. Os ban­cos vendem dinheiro. E nós, geralmente, nos acostumamos a trabalhar somente com um único banco. E, às vezes, nem conhecemos o que os outros bancos podem nos oferecer. A ideia desse evento é que os empresários pudessem co­nhecer, de uma só vez, tudo o que os bancos podem ofere­cer.

Qual foi o resultado da Semana de Recrédito?

Trouxemos para o consumo novamente diversos consumi­dores que não estavam aptos ao crédito por estarem endivi­dados e com o nome no SPC. Dezenas de empresas entra­ram nesse projeto e renegociamos a juros baixos, com isen­ção de multas e grandes facilidades para que essas pessoas estejam aptas a consumir. O resultado é: empresas fortes e pessoas aptas ao consumo fazem a economia girar. É essa a nossa contribuição que pretendemos deixar para a cidade.

Quais outras iniciativas que a ACE/CDL pretendem realizar para fortalecer as empresas?

O próximo serviço que iremos trazer para o portfólio é uma central de compras. Queremos reunir as necessida­des de compras de empresários, principalmente dos ramos de bares, restaurantes, mercearias e supermercados. Com poder de compra, iremos oferecer a esses empreendedo­res a oportunidade de comprar por um preço mais baixo e com isso aumentar a lucratividade deles.

EMPRESÁRIOS APROVAM RODADA DE CRÉDITO

Mariana Duarte de Faria (esquerda), sócia-proprietária da Floricultura Dedo Verde
Mariana Duarte de Faria (esquerda), sócia-proprietária da Floricultura Dedo Verde

“Eu achei incrível! O empresário, às vezes, não tem conhe­cimento geral dos créditos possíveis, das taxas disponíveis no mercado. Às vezes ele acha que está tudo difícil. Prin­cipalmente nessa crise, entre aspas, que a gente está pas­sando, a mente fica muito fechada, principalmente aqui em Lagoa da Prata, que é conservadora nesse sentido. Isso foi uma fonte de informação e uma ideia muito bacana da ACE/CDL para realmente ajudar o empresário e microem­preendedor a alavancar a sua empresa e o mercado em ge­ral. Isso é uma corrente. Uma coisa puxa a outra.”

Clóvis (direita), proprietário do Bar Passatempo
Clóvis (direita), proprietário do Bar Passatempo

“Foi uma boa iniciativa da ACE/CDL, pois na atual conjun­tura econômica, com problemas de capital de giro, aqui nes­se evento tivemos acesso a muitas propostas. Vamos anali­sar o que os bancos têm a oferecer. Encontrei uma linha de crédito específica para o meu ramo com uma taxa de juros muito interessante.”

Solange Barbosa (esquerda), proprietária do bufê e sa­lão de festas Divina Gula
Solange Barbosa (esquerda), proprietária do bufê e sa­lão de festas Divina Gula

 

“É muito importante. Foi uma iniciativa excelente e opor­tunidade única de conhecer as linhas de crédito de todos os bancos para ampliar e fortalecer o nosso negócio.”

 

 

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp