Caps de Lagoa da Prata realiza seminário sobre suicídio

COMPARTILHAR
Foto: Alisson Gontijo

O seminário, que é gratuito, é destinado aos pais, professores, profissionais da saúde e estudantes

O Centro de Atenção Psicossocial (Caps) realizará amanhã (17), no Auditório Hilde Schimitd, o primeiro seminário, que tem como tema “Suicídio: vamos falar sobre isso?”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE .

O seminário, que é gratuito, é destinado aos pais, professores, profissionais da saúde e estudantes. De acordo com a psicóloga Eliana Delfino, o encontro será realizado por meio de uma mesa redonda  terá como objetivo de desmitificar o tabu e o preconceito em torno do tema. Como também oferecer recursos aos pais, professores e profissionais de saúde para identificarem sinais e buscarem ajuda profissional quando necessário. “A mesa será composta por profissionais do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS ( Eliana Maria Delfino e Sally Garcia de Lima, psicólogas) e do Centro Municipal da Adolescência e Infância – CEMAI (Denise Moreira, psicóloga).

Eliana também destacou que a abordagem da mesa será ética e com a leveza exigida para desmitificar o tabu e o preconceito em torno do tema. “O suicídio está presente na história da humanidade, em todas as culturas, e tem causas multifatoriais que serão abordadas. Como também a prevenção, a identificação de fatores de risco e apresentar o suicídio como questão de saúde pública (o Brasil ocupa o 8º. lugar no mundo em números absoluto de suicídio, e  é a 3ª. causa de morte entre os jovens)”, destacou.

A psicóloga também enfatizou que a intensa divulgação na mídia sobre o Jogo Baleia Azul e o seriado norte-americano “13 Reasons Why” (Os 13 porquês) intensificaram a angústia das pessoas em torno do tema e o possível aumento de casos entre os adolescentes.

Segundo Delfino, o suicídio na adolescência envolve alguns mitos do tipo:

  • Adolescente não se mata;
  • Internet demais faz mal para a saúde mental;
  • Não devemos falar sobre suicídio, entre outros que serão debatidos na mesa.

A Organização Mundial de Saúde – OMS escolheu 07 de abril de 2017, dia mundial da saúde, como dedicado a depressão e a importância do tratamento através da campanha “Vamos conversar”.

O evento faz parte da programação do 18 de Maio, Dia Nacional da Luta Antimanicomial, marco da defesa por serviços abertos e pela humanização do tratamento na Saúde Mental. Este ano o tema reflete sobre o retrocesso após a Lei 10216 de 2001, o preconceito em torno da doença mental, a partir dos versos do poeta Thiago de Melo “Faz escuro, mas eu canto: Liberdade em todo canto”.

O Caps Dr. BernardoAmorim comemora a semana da Luta Antimanicomial com uma programação voltada aos s e familiares, confira:

16/05 –  Sessão de Cinema

17/05 – Mesa redonda sobre Suicídio aberta ao público em geral

18/05 –  Manhã de Lazer na praia municipal, com apresentação do Coral do CAPS de Bom Despacho

19/05 – Passeio com usuários do CAPS

Ao longo da semana entrevistas nas rádios do município

De acordo com Eliana, é importante ressaltar que o tratamento em Saúde Mental em Lagoa da Prata iniciou há 22 anos com a implantação do Núcleo de Atenção Psicossocial em 1995 e depois com o credenciamento pelo Ministério da Saúde – MS em Centro de Atenção Psicossocial – CAPS. “É um serviço público, do Sistema Único de Saúde – SUS, que atende a população de Lagoa da Prata ofertando atenção multiprofissional às pessoas com sofrimento psíquico/mental”.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp