COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Até o momento, transparência solicitada pelos vereadores só existe no discurso e no papel

 Muitas conversas, muitos argumentos e poucos resultados. A Câmara de Lagoa da Prata aprovou no dia 6 de julho dois requerimentos, de autoria dos vereadores Edmar Nunes (PDT), Adriano Moraes (PV) e Cida Marcelino (PRB), que solicitam a divulgação, no site legislativo, a relação dos bens de todos os parlamentares e agentes políticos, inclusive o valor que eles pagam do imposto municipal IPTU. Quase um mês se passou após a votação e aprovação dos requerimentos e a Câmara ainda não divulgou os bens pertencentes aos agentes políticos. Nem os de sua responsabilidade – no caso, dos próprios vereadores – foram divulgados no site.

A vereadora e presidente Quelli Couto diz que vai aguardar o envio das informações dos políticos do Poder Executivo (prefeito, vice-prefeito e secretários). “Eu vou me sentar com todos, inclusive com alguém do Executivo, para ver se a Administração Municipal também se propõe a fazer essa transparência juntamente com a Câmara. Não é correto colocar só dos vereadores, não pode existir uma diferença, tem que ser todos”, argumenta Couto. A secretaria da Câmara não tinha nem notificado o governo municipal, solicitando as informações, até o fechamento desta edição.

Continua depois da publicidade.

A presidente ressaltou que a Câmara está em recesso, mas que agirá com cautela para que a divulgação dos bens não se transforme em uma “picuinha”. “Na reunião, o requerimento foi discutido, falado e votado. Até então ninguém tocou mais no assunto. Agora eu tenho que sentar com os outros vereadores e questionar se vamos colocar em prática esse requerimento e convidar alguém do Executivo para nos responder se também se propõe a fazer. Sempre falo que não podemos deixar partir para o lado de ‘picuinha’, questão pessoal. Se é agente político temos que abranger todo mundo. Ninguém tem nada para esconder, todos podem colaborar com essa transparência”, frisou.

Eu vou me sentar com todos, inclusive, com alguém do Executivo, para ver se a Administração Municipal também se propõe a fazer essa transparência junto com a Câmara. Não é correto colocar só dos vereadores não pode existir uma diferença, tem que ser todos.” – Quelli Couto , vereadora e presidente da Câmara Municipal de Lagoa da Prata.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp