COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.
Município recebeu carro fumacê, que deve começar rodar na segunda-feira. Número de notificações ainda não foi repassado pela cidade

 

Por: G1

Continua depois da publicidade.

O município de Bambuí no Centro-Oeste do estado, está em situação de alerta para a dengue. Segundo a Secretaria de Saúde, cerca de 70% dos atendimentos nos hospitais do município tem sido em relação a doença. A secretaria adquiriu nesta semana um carro fumacê que deve começar a percorrer os bairros na segunda-feira (23). Agentes trabalham em uma força tarefa de combate ao mosquito.

Ainda de acordo com a secretaria do município, Solayne Cristina de Resende Silva, ainda não foram computadas as notificações. “Estamos aguardando esse dados serem enviados pela Secretaria Estadual de Saúde, para trabalharmos de forma mais pontual. Até o momento o que temos são as informações dos hospitais que estão atendendo muitos casos de dengue. Cerca de 70% das entradas nas unidades de saúde são referentes a dengue. Para recebermos um veículo como o fumacê é preciso que haja um número significativo de registros da doença”, disse.

Estamos aguardando esse dados serem enviados pela Secretaria Estadual de Saúde, para trabalharmos de forma mais pontual. Até o momento o que temos são as informações dos hospitais que estão atendendo muitos casos de dengue. Cerca de 70% das entradas nas unidades de saúde são referentes a dengue.

Ainda segundo a secretária, apesar de ser grande o número de registros não há nenhum caso grave de internação. “A atenção primária tem sido capaz de resolver esses casos e por horas não há nenhum registro grave”, contou.

O problema se agravou porque o serviço de combate à dengue ficou suspenso por quase 30 dias. Nesse período não havia nenhum agente de endemia trabalhando na cidade. Contudo, a Prefeitura regularizou a situação e agora 24 agentes trabalham na cidade. “A expectativa é que cada agente visite 20 casas por dia”, contou Solayne.

A prioridade do trabalho tem sido os lotes vagos e locais públicos. Por isso, é feito apelo para que a população colabore. Após passar cinco dias internado por causa da dengue, o embalador Talyson de Carvalho prometeu ajudar. “Vou verificar sempre os locais que acumulam água parada”, declarou.

De acordo com o supervisor técnico Magno Luiz dos Santos, da Superintendência Regional de Saúde (SRS) em Divinópolis, que é responsável por Bambuí, neste mês de fevereiro uma equipe da SRS estará em Bambuí para identificar o número de casos confirmados.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp