COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Terminou ontem (02/07), por volta das 23h, o júri de Denerval Augusto Ribeiro, acusado de matar o próprio filho, Júnior Augusto Ribeiro, no dia 26 de junho de 2009, em sua casa, localizada na rua Tiradentes.

Na sentença proferida pelo MM. Juiz Dr Fernando de Moraes Mourão, o réu foi condenado por homicídio simples, considerando a agravante de crime praticado contra descendente e a atenuante da confissão espontânea, o réu recebeu a pena de 6 anos de reclusão, em regime semiaberto, podendo aguardar o trânsito em julgado em liberdade.

Continua depois da publicidade.

A defesa do réu sustentou a tese de legítima defesa, pela absolvição por clemência, do homicídio privilegiado e pelo decote da qualificadora prevista no inciso IV do 2º artigo 121 do CP. O Ministério Público e a defesa já recorreram da sentença

O crime

Júnior Augusto Ribeiro foi atingido por três disparos de revólver Cal. 38, disparados pelo próprio pai, Denerval Augusto Ribeiro, na noite de 26 de junho de 2009, na varanda de sua casa na rua Tiradentes. Na época, o acusado fugiu e se apresentou posteriormente ao delegado.

Durante o inquérito, baseadas no depoimento do pai, principal suspeito de matar Júnior, tudo teria acontecido, devido a uma briga com a mãe. Consta nos autos que o início da discussão do jovem com a mãe em razão dele ter derramado gasolina em sua roupa. Durante o inquérito, Denerval disse ao delegado que teria puxado o gatilho sob extrema emoção.

Fonte: Portal Arcos

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp