COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Na semana passada, Otaviana de Moraes Ferreira, voluntária do Serviço de Obras
Sociais (S.O.S) usou a Tribuna Livre durante uma sessão da Câmara para falar das
dificuldades orçamentárias que a entidade enfrenta para manter o serviço e cobrar
dos vereadores empenho na defesa da instituição. “Qual foi a última vez que vocês foram ao S.O.S?”, questionou.

A cobrança deu resultado. Na quarta-feira (30/09), os vereadores (exceto Iraci
Antônio, o Nego da Saúde) visitaram a entidade e ouviram da diretoria que o S.O.S
tem um déficit mensal de 30 mil reais para manter a assistência aos idosos.

Continua depois da publicidade.

Faltam recursos ao S.O.S., mas não no caixa dos vereadores. A Câmara está com mais de 600 mil reais parados na conta bancária. São sobras dos recursos que os vereadores recebem do Município para custear as atividades parlamentares (subsídios, custo operacional, servidores, etc). Normalmente, estes recursos são devolvidos para os cofres da prefeitura, que, posteriormente, investe a verba em algum serviço ou obra. Em 2015, a Mesa Diretora da Câmara havia optado por manter os recursos em caixa.

Mas durante a visita ao S.O.S, os parlamentares atenderam o apelo da diretoria e
optaram por devolver aos cofres do Executivo um recurso que atenda a necessidade momentânea do asilo, e a administração municipal se comprometeu a repassar os valores.

Outra medida positiva, fruto dessa visita dos vereadores ao S.O.S, foi o compromisso assumido pelo deputado federal Newton Cardoso Júnior em articular diretamente à presidência da Cemig a instalação do sistema de aquecimento solar que o S.O.S possui e aguarda, a mais de dois anos, a implantação por parte da concessionária de energia. O pedido ao deputado foi feito diretamente pelo vereador Paulo Roberto Pereira.

A visita dos vereadores foi muito importante para a nossa entidade, que precisa do apoio do poder público, das políticas públicas. Desse encontro a gente espera o envolvimento e a sensibilização. Precisamos que nos ajudem a encontrar as vias necessárias para angariar novos recursos”, disse Ludmila Rocha, presidente do S.O.S.

A vereadora e presidente da Câmara, Quelli Cássia Couto, comentou sobre esse primeiro encontro entre os parlamentares e a entidade. “A dona Otaviana fez uso da Tribuna Livre e a ouvimos. Atendendo com muita sensibilidade ao pedido feito por ela, resolvemos marcar essa reunião para conhecermos a realidade atual do S.O.S. Durante a visita pudemos ver que há uma grande demanda da parte física, mas que está sendo sanada, gradativamente, pelos seus benfeitores que apoiam. A questão que nós, vereadores, vamos levar para a câmara é a dificuldade financeira enfrentada pela entidade”, disse Couto.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp