COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) anunciou no dia 7 de janeiro a efetivação de convênios para implantar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em cidades da região Centro-Oeste.  De acordo com o assessor de Normalização de Serviços de Saúde, Guilherme Augusto Orair, por enquanto Lagoa da Prata não está entre as cidades beneficiadas. “Inicialmente, com o valor, o convênio irá se estruturar. Serão 31 veículos , 24 ambulâncias básicas e 7 avançadas. O recurso já foi repassado, mas por enquanto apenas as cidades listadas irão receber. Para Lagoa da Prata ainda não há a previsão”, afirmou.

Em Divinópolis, a previsão é de que o serviço comece a funcionar até março de 2016.

Continua depois da publicidade.

O Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Ampliada Oeste (Cisurg) receberá, ao todo, R$ 7.076.279,61 e 31 ambulâncias, sendo 24 Unidades de Suporte Básico (USB) e sete Unidades de Suporte Avançado (USA). Compreende as Regiões de Saúde de Bom Despacho, Divinópolis/Santo Antônio do Monte, Formiga, Itaúna, Pará de Minas, Santo Antônio do Amparo/Campo Belo. A região contempla 54 municípios e uma população total de 1.195.499 habitantes.

Benefícios
O gerenciamento dos serviços será feito pelos consórcios intermunicipais, em parceria com a SES e prefeituras. Os municípios terão as centrais de regulação, enquanto os consórcios irão cuidar da gestão das novas ambulâncias e dos recursos humanos. Os consórcios poderão equipar as centrais de regulação e as bases descentralizadas. Ainda segundo a SES, eles passarão a receber recursos para operações quando começarem a funcionar.

O que é o SAMU

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu/192) é um programa que tem como finalidade prestar o socorro à população em casos de emergência. Com o Samu/192, o governo federal está reduzindo o número de óbitos, o tempo de internação em hospitais e as seqüelas decorrentes da falta de socorro precoce. O serviço funciona 24 horas por dia com equipes de profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas que atendem às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental da população.

O SAMU realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. O socorro é feito após chamada gratuita, feita para o telefone 192. A ligação é atendida por técnicos na Central de Regulação que identificam a emergência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. Esse profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente, ou a pessoa que fez a chamada, sobre as primeiras ações.

Ao mesmo tempo, o médico regulador avalia qual o melhor procedimento para o paciente: orienta a pessoa a procurar um posto de saúde; designa uma ambulância de suporte básico de vida, com auxiliar de enfermagem e socorrista para o atendimento no local; ou, de acordo com a gravidade do caso, envia uma UTI móvel, com médico e enfermeiro. Com poder de autoridade sanitária, o médico regulador comunica a urgência ou emergência aos hospitais públicos e, dessa maneira, reserva leitos para que o atendimento de urgência tenha continuidade.

A partir dessa atuação, o SAMU tem um forte potencial para corrigir uma das maiores queixas dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), que é a lentidão no momento do atendimento. Historicamente, o nível de resposta à urgência e emergência tem sido insuficiente, provocando a superlotação das portas dos hospitais e pronto-socorros, mesmo quando a doença ou quadro clínico não é característica de um atendimento de emergência. Essa realidade contribui para que hospitais e pronto-socorros não consigam oferecer um atendimento de qualidade e mais humanizado.

O SAMU 192 é o principal componente da Política Nacional de Atenção às Urgências, criada em 2003, que tem como finalidade proteger a vida das pessoas e garantir a qualidade no atendimento no SUS. A política tem como foco cinco grandes ações:

* organizar o atendimento de urgência nos pronto-atendimentos, unidades básicas de saúde e nas equipes do Programa Saúde da Família;
* estruturar o atendimento pré-hospitalar móvel (SAMU 192);
* reorganizar as grandes urgências e os pronto-socorros em hospitais;
* criar a retaguarda hospitalar para os atendidos nas urgências;
* estruturar o atendimento pós-hospitalar.

A Rede Nacional SAMU 192 possui hoje 147 serviços de atendimento móvel às urgências, atendendo, com isso, 1.273 Municípios brasileiros, num total de 112 milhões de pessoas.

* Com informações da Secretaria de Estado de Saúde.

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp