COMPARTILHAR
Continua depois da publicidade.

Dezoito detentos foram levados para o presídio de Arcos. A intenção é desativar todas as cadeias públicas.

A Cadeia Pública de Iguatama foi desativada na manhã desta quarta-feira (11) e os 18 presos condenados tiveram que ser transferidos para o presídio em Arcos, que antes também era uma Cadeia Pública. A transferência foi feita pela Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais (Suapi). Outros quatro detentos permanecerão na cidade cumprindo pena em regime aberto.

A intenção é que todo o sistema prisional fique sob custódia da Suapi. Essa medida visa o cumprimento das funções da Civil que é investigar; e da PM que fica com a função do policiamento ostensivo

Segundo a delegada e superintendente de investigações da Polícia Civil, Rosilene Alves Souza, no Estado ainda há 112 cadeias públicas em cidades do interior sob responsabilidade da polícia Civil e Militar (PM). “A intenção é que todo o sistema prisional fique sob custódia da Suapi. Essa medida visa o cumprimento das funções da Civil que é investigar; e da PM que fica com a função do policiamento ostensivo. Por isso, a importância de transferir os presos para unidades regionais com aporte maior”, disse.

Um policial que deveria estar na rua fazendo seu trabalho precisa dar escolta

Ainda de acordo com a delegada, a maior dificuldade para a polícia no estado em dar assistência às cadeias é em relação ao efetivo que muitas vezes tem que ser destinado a operações envolvendo cadeias públicas. “Um policial que deveria estar na rua fazendo seu trabalho precisa dar escolta, por exemplo,”, contou. Outros quatro presos que estão sob pena domiciliar em Iguatama ainda devem permanecer na cidade. “Esses presos albergados continuarão dormindo na cadeia até que seja definida a destinação correta para eles. Durante esse período daremos apoio com policiamento”, resumiu o sargento da PM Jesus Luiz da Fonseca.   Transferência A transferência dos presos da Cadeia Pública de Iguatama foi feita de forma sigilosa. Por volta das 8h veículos da Subsecretaria de Administração Prisional de Minas Gerais (Suapi) estacionaram em frente à principal entrada da cadeia e, um a um, os presos saíram das celas e entraram nos compartimentos traseiros dos veículos. A ação teve apoio da Polícia Militar (PM) que isolou a praça no Centro da cidade, onde  funcionava a cadeia. Os presos saíram apenas com a roupa do corpo. Os pertences ficaram na cadeia e familiares devem buscar na sexta-feira (14), segundo a PM.   A cadeia A cadeia de Iguatama funcionava em um imóvel que apresenta boas condições do lado de fora. Cercada por um muro com pouco mais de dois metros, do lado de dentro a situação das cinco celas é outra, segundo familiares. Pequenas e com infiltrações, elas abrigavam os 18 presos transferidos e ainda os outros quatro que cumprem regime de albergados. Cada uma das celas tem um banheiro. As camas, que não são suficientes para o número de presos, são de cimento, mas haviam colchões que eram colocados no chão na hora de dormir.

Presídio de Arcos
Presídio de Arcos

Fonte: G1/centrooeste

Deixe o seu comentário e compartilhe no Whatsapp

Continua depois da publicidade.